Flickr Images

26 abril 2016

Top 5 - livros que se passam em Londres

Olá Pessoal! A ideia dessa postagem surgiu quando eu estava analisando as leituras desse mês e percebi que a maioria os livros que li se passavam em Londres. São livros de gêneros e épocas diversos tendo como pano de fundo o cenário Londrino e arredores.

  •  Amor Errante - Christine Merrill - Série Ladies em Desonra

Casamento por interesse… ou paixão?
Emily Longesley casou-se com o amor de sua vida e tinha esperança de que ele pudesse amá-la com o tempo. Ao invés disso, ele abandonou subitamente a bela casa em que moravam no campo e partiu para Londres. Emily suportou o desprezo com dignidade, mas três anos já haviam sido suficientes para ela! Ao enfrentar seu marido errante, Emily percebeu que Adrian, conde de Folbroke, havia perdido a visão. Ele sequer a reconhecia! No entanto, ela anseia seu toque... Se Emily fingisse ser uma amante, será que Adrian finalmente aprenderia a amar sua esposa? 
Esse é um romance de banca da Harlequin super fofo que acontece no período da Regência. É o primeiro de três livros que fala de mulheres que estão a um passo de um grande escândalo. É uma história bem clichê mas pra quem ama livros desse gênero vai adorar esse aí.


  • Anjo Mecânico - Cassandra Clare - As peças infernais
Tessa Gray tem um anjinho mecânico pendurado no pescoço, um presente de família do qual nunca se separa. O tique-taque do pingente faz com que ela se sinta segura junto à lembrança dos pais, que já morreram. Mal sabe Tessa que esse barulhinho muito em breve vai se tornar o odioso som de um exército comandado por forças do Submundo. Com os Caçadores de Sombras e seu recém-descoberto poder sobrenatural, ela enfrentará uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das trevas na Londres vitoriana.
Anjo Mecânico é o primeiro livro da Trilogia As Peças Infernais, Spin-off de Os Instrumentos Mortais. É uma mistura de fantasia com Steampunk que conta a história dos Caçadores de Sombras contra o Magistrado. Anjos, demônios, feiticeiros, fadas, autômatos, aventuras, romances e muito mais te esperam nessa série.




  • O Chamado do Cuco - Robert Galbraith - Série Cormoran Strike

Strike é um veterano de guerra, ferido física e psicologicamente, e sua vida está em desordem. O caso lhe garante uma sobrevida financeira, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no mundo complexo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas e mais perto do perigo ele chega.
Um emocionante mistério mergulhado na atmosfera de Londres, das abafadas ruas de Mayfair e bares clandestinos do East End para a agitação do Soho. O chamado do Cuco é um livro maravilhoso. Apresentando Cormoran Strike, este é um romance policial clássico na tradição de P.D. James e Ruth Rendell, e marca o início de uma série única de mistérios.

J.K. Rowlling, sob o pseudônimo de Robert Galbraith, inicia em O Chamado do Cuco mais uma série de sucesso. Mas diferente de Harry Potter, neste não há nada de fantástico ou mágico. Há a realidade. E, a partir do segundo livro, a autora nos mostra uma realidade bem cruel. Quem gosta de livros policiais precisa conhecer essa série. A dica: esqueça que é J.K. Rowling e mergulhe no mistério pelas ruas e pubs de Londres.


  • Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias - Vários autores
Não é qualquer universo que pode receber 12 visitantes tão ilustres e acolher 12 interpretações tão radicalmente diferentes do mesmo herói.
Doctor Who, o fenômeno cultural britânico que conquistou o mundo, a série de ficção científica mais antiga da televisão, conta as aventuras do Doutor, um alienígena de aparência humana que trafega livremente pelo tempo e o espaço. Fascinado pelo planeta Terra e a humanidade, o Doutor está sempre acompanhado de um terráqueo enquanto viaja na sua nave, a TARDIS, por todos os cantos do universo e da história.
Para celebrar os 50 anos da série, completados em 2013, 12 dos maiores nomes da literatura fantástica da atualidade entre eles Eoin Colfer, Marcus Sedgwick, Philip Reeve, Richelle Mead, Neil Gaiman e Holly Black homenageiam o personagem com histórias inéditas na aguardada coletânea Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias.
Em 51 anos de TV, o Doutor foi interpretado por 12 atores diferentes, cada um deles uma encarnação diferente do personagem, com personalidades e trejeitos diferentes. As muitas faces do Doutor e suas jornadas infinitas ofereceram aos criadores da série a liberdade de explorar não só as galáxias e profundezas do tempo, mas também temas que vão do lírico ao terror, numa verdadeira investigação do coração e da mente do ser humano.
É essa mesma liberdade de imaginação que agora vemos nas mãos de 12 dos autores de ficção mais queridos da atualidade, que foram conquistados pelas peripécias do Doutor, alguns desde que eram crianças, e que agora compartilham com os fãs dele e seus próprios leitores 12 visões muito particulares do personagem mais cativante deste lado da galáxia.
Lançada pela BBC britânica em 1963 e exibida em mais de 60 países, a série Doctor Who segue arrebatando novos fãs a cada dia e inspirando autores de fantasia e ficção científica de todo o mundo. 

Da TV para os livros. Doctor Who é a série mais antiga da História. O Alienígena que pode viajar pelo espaço-tempo, a bordo da TARDIS tem como lugar predileto para suas aventuras, Londres, em qualquer época. Nesta coletânea de contos em homenagem aos 50 anos da série vários autores escrevem sobre o Lorde do Tempo e suas aventuras seja em Londres ou em planetas nos confins do Universo. Recomendadíssimo para os fãs da série.


  • A Casa de Seda - Anthony Horowitz

O detetive Sherlock Holmes está de volta! Os mesmos métodos irresistíveis de dedução, a incrível velocidade de raciocínio, a parceria com Dr. Watson, os mesmos vícios e manias, o clima de suspense e mistério que prende o leitor até a última página. O que muda é o autor que assina este romance. O mais famoso detetive da história, criado por Arthur Conan Doyle no fim do século XIX, agora ganha vida pelas mãos de Anthony Horowitz. A Casa da Seda é o primeiro caso de Sherlock Holmes escrito por outro autor a obter reconhecimento e autorização oficiais da entidade que administra e protege a obra do escritor, o Arthur Conan Doyle Estate. Na trama, o leitor se depara com uma Londres gelada. É novembro de 1890 e Sherlock Holmes e Watson estão juntos à lareira saboreando um chá, quando um agitado cavalheiro bate à porta do número 221B de Baker Street pedindo ajuda. Agoniado, ele conta que está sendo seguido há semanas por um homem com o rosto marcado por uma cicatriz. Intrigados pelo relato, Holmes e Watson logo se veem às voltas com uma série de acontecimentos enigmáticos e sinistros que se espalham da penumbra das ruas de Londres ao fervilhante submundo do crime de Boston. Quanto mais mergulham no caso, mais se deparam com um nome, que é sempre sussurrado - " A Casa da Seda". Uma misteriosa entidade, um adversário mais mortal que qualquer outro já enfrentado por Holmes. Depois dessa leitura, ninguém terá mais dúvidas. Holmes está mesmo de volta.
Todo mundo conhece Sherlock Holmes, personagem de Arthur Conan Doyle. O que poucos sabem é que Anthony Horowitz tem autorização para usar o personagem em seu livros. A Casa de Seda é o primeiro e não fica nada atrás dos livros escritos por Doyle. Quem gosta das histórias do detetive mais famoso do mundo precisa dar uma espiadinha em "A Casa de Seda" e matar a saudade da Baker Street e os moradores do apartamento 221B.

Bom é isso gente! Já conheciam algum desses livros? Tem outras sugestões? Só deixar o seu comentário aí em baixo que eu vou adorar saber, bjus e até a próxima...


07 abril 2016

Shadowhunters - Minhas impressões


Baseada nos livros Os Instrumentos Mortais, a série Shadowhunters acompanha a jovem Clary Fray, de 18 anos de idade, que descobre em seu aniversário que ela não é quem pensava ser, mas que vem de uma antiga linha de Caçadores de Sombras – seres híbridos de humanos e anjos que caçam demônios. Quando sua mãe Jocelyn é sequestrada, Clary se lançada no mundo de caça aos demônios junto do misterioso Caçador de Sombras Jace e seu melhor amigo, Simon. Agora vivendo entre fadas, feiticeiros, vampiros e lobisomens, Clary começa uma jornada de autodescoberta enquanto aprende mais sobre seu passado e percebe como poderá ser seu futuro.

Elenco: Katherine McNamara, Dominic Sherwood, Alberto Rosende, Matthew Daddario, Emeraude Toubia, Harry Shum Jr.
Estreia: 12/01/2016

Olá , Pessoal! Hoje eu vou falar de uma série que chegou ao fim de sua primeira temporada ontem ,(pelo Netflix). Shadowhunters. Série baseada nos livros da Cassandra Clare, produzido pela ABC. Como a Netflix comprou os direitos da série ela ganha o rótulo de "Original Netflix".
A série estreou em 12 de janeiro e na Netflix em 13 de janeiro.

Eu, assim como muitos fãs da série, tinha muitas expectativas, principalmente porque o filme foi uma grande decepção. Numa escala de 0 a 5 eu daria 3 pra essa série. Foi uma série razoável mas dá pra melhorar.

O principal motivo pra essa nota fica por conta da protagonista, Katherine McNamara não me convenceu no papel da Clary.

Em nenhuma cena ela conseguiu me emocionar, nem me convencer do seu sofrimento ou sua coragem. Nem mesmo na cena em que é revelado um dos maiores segredos da série ela não se mostra tão chocada quanto se deveria esperar.

Em quase todo o tempo ela está com essa carinha de boneca aí da foto, e em quase todas as fotos dela na internet ela está assim. Resumindo, ela não passa confiança nenhuma.

Os outros atores são razoáveis mas também não fizeram nada que os destacasse, embora Harry Shum Jr. (Magnus), Matthew Daddario (Alec) e Emeraude Toubia (Isabelle) conseguiram me impressionar em seus papéis. Apesar da atuação de Dom não ser ruim sinto falta de jeito sarcástico e arrogante do Jace.

Diferente do livro, na série os personagens são um pouco mais velhos, no entanto isso não faz diferença nenhuma, a série continua tendo uma pegada mais teen.
Outra coisa que me desagradou foi que num episódio Clary e Jace se conhecem e no outro já estão perdidamente apaixonados. Por se tratar de uma série, há um tempo maior pra se trabalhar os relacionamentos dos personagens, pra que eles se desenvolvam de forma mais gradual. Em Shadowhunters isso é muito corrido, parece que a temporada inteira se passa dentro de uma semana.

A maior parte do roteiro é baseado no primeiro livro, no qual os protagonistas precisam encontrar o Cálice Mortal e derrotar Valentim, que sequestrou Jocelyn, mãe da Clary. Alguns fatos foram um pouco adiantados, mas não vou entrar em detalhes. Essa é uma parte que me agradou muito pois foram poucas mudanças se comparado com o filme.

Outra coisa que me agradou foi o cenário, a sala das armas e toda a tecnologia da Instituto, que diferente do livro está cheio de outros Shadowhunters, que são meros figurantes mas que dão mais vida ao lugar. O figurino também é maravilhoso, principalmente o do Magnus e da Izzy. Mas odiei o cabelo da Clary, ou deixavam ela loira mesmo ou escureciam o cabelo dela, achei esse tom de laranja muito exagerado.

Os efeitos especiais são medianos mas me incomoda as cenas em que os vampiros saem correndo, não dá pra explicar mas é uma coisa muito estranha.

A segunda temporada já foi confirmada e como disse anteriormente, dá pra melhorar. Se o roteiro seguir os outros livros muitas reviravoltas estão pra acontecer e espero um grande amadurecimento dos personagens, os atores tiveram bastante tempo para se ajustarem aos seus personagens e espero que isso reflita na próxima temporada.

Enfim, Shadowhunters está longe de ser uma grande produção e tem os seus prós e contras. Eu pretendo assistir a segunda temporada e ver onde isso vai dar.

E aí, gente! Já assistiram a série? Me conte o que acharam aí nos comentários... bjus, até a próxima!